Destaques
Cultura
Artistas querem reconhecimento

Moda
Roupas são símbolo de uma identidade

Cidade
Bairro da Ribeira é atração turística

Cultura
Roqueiros baianos querem reconquistar a Europa

Gastronomia
Restaurante oferece comida a preço popular

Leia

Turistas aderem à trança afro
Roupas são símbolo de uma identidade


4/10/2007 - Moda afro
Roupas são símbolo de uma identidade

Valdineia dos Santos

Imagem: Valdineia Santos
Modelo com traje afro

Vestido colorido, calças largas, batas, pano -da -costa e sandália de couro. consegue identificar de que povo se trata? não é dificil descobrir. O vestuário africano se destaca pelas cores alegres e marcantes e, não é de admirar que, em anos recentes, o estilo afro se tornou uma das correntes da moda.

A moda afro vem conquistando seu espaço não só nas passarelas, mas também nas ruas. Hoje não é dificil encontrar pessoas usando um ou outro componente do vestuário africano, apesar de haver ainda uma resistência para esta forma de se vestir.

A roupa como símbolo

Roupas não servem apenas para cobrir e proteger o corpo. De modo geral, servem também como símbolo de uma identidade, cultura e origem. No vestuário afro, estas características são ainda mais acentuadas.

Na sociedade colonial, os trajes serviam para distinguir as escravas das negras libertas e alforriadas, além de identificar a nacionalidade. O Traje da Criola, por exemplo, indicava a escrava nascida no Brasil. Na sociedade conteporânea, os trajes africanos também têm uma representavidade sócio- cultural.

A moda sempre teve um papel social ao longo dos séculos, seja para diferenciar as classes média e alta dos operários no século XIX, seja pra resgatar valores no século XXI. Esta importante ferramenta de comunicação tem contribuído significativamente para a construção da identidade negra também através das roupas.

Moda afro resiste a preconceitos

Embora a moda afro esteja cada vez mais conquistando espaço tanto na moda como na mídia, esta vestimenta ainda enfrenta discriminação, principalmente, pelo fato de está associada à vestimentas do Candoblé, religião afro constantemente discriminada no Brasil.

Valdirana Santos, lojista, começou a gostar de roupas afro depois que foi à uma festa a fantasia. Ela conta que decidiu ir à festa de última hora, como não tinha providenciado a fantasia resolveu usar algumas peças de roupa da mãe que eram roupas afros. Gostou tanto do resultado, que decidiu vestir este tipo de traje também no dia a dia.

Valdirana conta que no ínicio foi difícil, as pessoas a olhavam de modo estranho e embora se incomodasse com os olhares decidiu continuar. Ela disse que já foi discriminada várias vezes. " Já fui chamada de macumbeira mas não ligo". Situações com estas ainda acontecem, porém, de modo geral, as pessoas respeitam mais o estilo afro especialmente depois da exposição positiva frente a moda.

André Oliveira, estudante, sempre usou roupas afros. " Não sou filiado a nenhuma organização que luta a favor da igualdade racial, uso roupas afro porque as acho lindas". É comum associar pessoas que usam os trajes africanos como fazendo parte de organizações afros que lutam por igualdade.

No entanto, é preciso perceber as pessoas que usam os trajes africanos apenas por gostarem e não por algum ideal.Nesta questão, se percebe a influência da moda na constante utilização de artigos e trajes africanos.

Responda à enquete
Como a moda afro diminui a discriminação racial?



Participe
Você tem alguma informação a acrescentar ou corrigir, neste texto? Fale com a gente.

Nome

Email

Sua informação



Saiba Mais
Site atualizado pelos alunos de Jornalismo da Unijorge - Centro Universitário Jorge Amado
Salvador (BA)